Intercâmbio mudando vidas

23/06/2017

Meu nome é Alessandra. Sou fisioterapeuta com um sonho de onze anos de imigrar para o Canadá.


Durante esses 11 anos, muitas coisas aconteceram o que me fez dar uma pausa, desistir, ou deixar adormecer esse sonho. Depois de tantas voltas no mundo, pude retomar o sonho.
Mas, como fazer tudo acontecer tão rápido? Como fazer isso sem o minimo de inglês, um dos requisitos minimos e básicos?


Decidi que precisava fazer um intercâmbio. Não queria ir para onde todo mundo vai. Queria ver coisas novas, queria descobrir coisas novas, queria ver outra cultura diferente das que todo o mundo conhece (EUA, Australia, Malta, Africa do Sul, Nova Zelandia), além disso o meu dinheiro era extremamente limitado não podia gastar muito e ainda precisava de uma reserva para o projeto dos sonhos.


Minha irmã que ja havia feito intercambio e é turismologa, sugeriu Trinidad e Tobago.
Eu, como todo mundo, me surpreendi com a sugestão. Mas me permiti pesquisar e entrar em contato com o Intercambio no Caribe.


Cy e Ila foram extremamente atenciosos e solicitos. Esclareciam as duvidas prontamente e da melhor forma possivel. Fiz dois meses de aula no SIFL, em San Fernando, o que deu um start no cérebro. As professoras eram atenciosas e sempre disponível para tirar as duvidas. No terceiro mês fiz voluntariado em um asilo. Os idosos sempre muito pacientes com meu inglês e a despedida foi bem difícil, como todas as despedidas. Fiz uma amizade que cultivo até hoje com uma enfermeira Jamaicana, muito querida. E isso me deixa muito feliz, poder me comunicar com uma enorme quantidade de pessoas no mundo.


No final do ano, ainda não estava satisfeita com meu ingles e decidi fazer mais um trimestre, mas não queria voltar para o Brasil. Sentia que ainda nao era hora. Voltei para Trinidad e Tobago para mais um trimestre. Agora numa Universidade. Foi das melhores coisas que fiz por mim e pelo meu sonho. Durante o intercâmbio surgiu a oportunidade de uma entrevista de uma família Canadense via Skype. Obviamente fiquei nervosa e ao mesmo tempo euforica e pouco confiante. Afinal, falar sem compromisso é uma coisa, garantir o futuro é outra. E mais uma vez meu inglês estava ali. Funcionando perfeitamente. Confesso que preciso de mais treino, o tempo todo os alunos de Português da Univesidade estão ali para ajudar com a gramática e com a pronuncia.


É uma troca, obviamente e mais uma vez, voltei com o whatsapp recheado de anglofanos.

Voltando para o Brasil, sinto falta de ouvir as musicas, de ouvir o sotaque deles. 
Uma das primeiras coisas que li nas pesquisas foi sobre o dialeto Creole. Não ligue para isso. Quando estamos por perto eles falam o inglês e com o tempo você pega o jeito e entende algumas palavras também.


Como falei ali em cima. Apenas permita-se fazer diferente de todos os outros ao seu redor...

 

 

Please reload

Posts Recentes
Please reload

  • inter_no_caribe
  • inter_no_caribe
  • Facebook - White Circle
  • Google+ - White Circle
  • YouTube - White Circle

Copyright 2019

Intercâmbio no Caribe

CNPJ 27.150.209/0001-98 

Central de Operações em Bragança Paulista - SP